Anjos, Lisboa, 2014

Tigre Papel, Lisboa, 2016

Liverpool, Lisboa, 2009

Paredes, Alenquer, 2017

Zaire, Lisboa, 2011

Valmor, Lisboa, 2017

Escoural, Lisboa, 2010

Av. E.U.A., Lisboa, 2016

Moçambique, Lisboa, 2010

Expo, Lisboa, 2010

Ajuda, Lisboa, 2007

Karmel, Torres Vedras, 2010

Eira da Palma, Tavira, 2009

1 Desde 2007 que tenho vindo a construir um caminho de convergência entre investigação e prática profissional. Enquanto investigador doutorado pela FAUP, tenho trabalhado no âmbito da história da arquitectura portuguesa e, mais recentemente, sobre os processos de participação e os movimentos sociais do pós-25 de Abril. A expressão dos meus projectos tem resultado de uma pesquisa em torno da identidade da arquitectura portuguesa e de um equilíbrio entre o desenho do lugar, a construção de um modo de habitar e uma ideia de conforto.

APP1

74-14 O SAAL e a Arquitectura

Arquitectura portuguesa e identidade. Processo SAAL: um sonho (i)repetível. Caso de estudo na Portela-Outurela, Oeiras.

A operação da Portela-Outurela e a Associação de Moradores 18 de Maio, praticamente a comemorarem 40 anos de existência, alcançaram muitos dos objectivos lançados no início do processo e são hoje um exemplo do compromisso conquistado entre equipa técnica e moradores, arquitectura e participação.

O projecto coordenado pelo arquitecto António Carvalho foi gerido no local pelos membros mais jovens da equipa, que tiveram de adaptar os seus modelos e metodologias ao contexto e às dificuldades de intervir na periferia de Lisboa e nos bairros de barracas. As propostas amplamente discutidas produziram soluções pragmáticas, reconhecíveis e ajustadas às necessidades da maioria das famílias.

A evolução e ampliação das casas ao longo do tempo e de acordo com o projecto, o grau de conservação do bairro, os baixos custos da sua manutenção e os níveis de satisfação dos moradores, juntamente com a construção de um plano urbano coerente e de uma arquitectura funcional adaptada à escala do sítio e aos núcleos urbanos da Portela e da Outurela, são dados fundamentais para o debate em torno dos processos de realojamento e do papel dos arquitectos e equipas técnicas multidisciplinares na contemporaneidade.